segunda-feira, 18 de outubroAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Até o esquerdista Glenn Greenwald critica a oposição por chamar Bolsonaro de “genocida”; veja repercussão

Até o esquerdista Glenn Greenwald critica a oposição por chamar Bolsonaro de “genocida”; veja repercussão

O jornalista Glenn Greenwald é conhecido por ter se destacado no país durante o período eleitoral de 2018 e também no ano seguinte, após ter soltado no site Intercept informações vazadas do ex-Ministro Sérgio Moro.

Com suas opiniões sempre fortes, com grande oposição à direita, Greenwald começou a mudar o posicionamento e agora chegou até a defender o Presidente Jair Bolsonaro (sim, pasmem).

Em entrevista cedida à Gazeta do Povo, o jornalista criticou a forma como a oposição tem chamado Bolsonaro de diversos nomes, como “genocida”.

Veja abaixo a pergunta do entrevistador ao jornalista Glenn Greenwald:

Algo que me incomoda muito na esquerda é essa coisa de chamar Bolsonaro de genocida. Você se sente à vontade com esse rótulo? Ou você acha que isso é até desrespeitoso com povos que realmente sofreram genocídio?

Em resposta, Greenwald disse que a forma como a esquerda faz com Bolsonaro é desonesta:

“No Brasil o que acontece é algo bastante semelhante. Se você é de esquerda, não basta dizer que acha que Bolsonaro gerencia muito mal a pandemia e que, por isso, pessoas morrem. É nisso que acredito. Não basta dizer que ele preferiu crescimento econômico e defender sua popularidade política a proteger a vida das pessoas. Acho que essa também é uma crítica válida. Mas chamá-lo de genocida, como se houvesse um ato intencional de pôr fim à vida de um grupo por causa de sua raça, etnicidade ou religião, o que seria um genocídio de verdade, é errado. Não serei coagido a dizer algo que não é verdade.”

Disse também que as pessoas que criticam Bolsonaro conseguem apoio nas redes sociais, e que esses críticos são “irresponsáveis” e “descuidados com a verdade”:

“E também acho que, quando você faz isso, consegue um monte de apoio. Se você vai para o Twitter e chama Bolsonaro de “genocida”, consegue 5 mil retuítes e 25 mil likes. Seu cérebro lhe diz: “você está fazendo algo de bom. Continue fazendo isso”. Esse é um dos efeitos nocivos das redes sociais. Acho que esse foi um dos motivos para a vitória de Bolsonaro e Trump. Os críticos foram tão irresponsáveis e tão descuidados com a verdade que ele se tornou uma figura admirável para as pessoas que ainda não estavam convencidas a votar nele. Então essa obsessão da esquerda em usar linguagem exagerada, sem se importar com o fato de ser ou não verdade, só porque isso faz com que eles se sintam bem, é ofensivo, desonesto e é sobretudo estrategicamente estúpido.”

Compartilhado por Rodrigo Constantino, a entrevista gerou repercussão nas redes:

Fonte: Gazeta do Povo

Compartilhe!

Este conteúdo está protegido contra plágio.