domingo, 29 de novembroAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Bolsonaro elogia jornalistas conservadores que são perseguidos pela esquerda

Bolsonaro elogia jornalistas conservadores que são perseguidos pela esquerda


O Presidente Jair Bolsonaro se solidarizou com jornalistas conservadores que são independentes, ou seja, não são “gado”, como os esquerdistas chamam os apoiadores do Presidente, nem críticos cegos, que só falam mal de tudo o que é feito pelo Governo.

Noticiamos nesta semana que houve uma discussão intensa na CNN Brasil entre Caio Coppolla e seu debatedor, Augusto Botello.

No dia 7 de Julho, o programa com o tema “Bolsonaro gerencia bem a pandemia?” foi ao ar, e o jornalista de esquerda não lidou bem com as argumentações de Caio Coppolla e subiu o tom, a ponto da mediadora Monalisa Perrone interromper e pedir para ele parar.

A situação desagradável acabou levando o Augusto Botelho a pedir para sair do programa de debates, porque segundo ele não é possível debater com alguém que não fala sobre fatos (dando indireta ao Coppolla).

Ainda na CNN, outra polêmica aconteceu com um jornalista conservador (um dos poucos da emissora):

Leandro Narloch foi demitido porque durante um comentário ele falou sobre uma nova lei que permite que homossexuais doem sangue. No comentário, ele usou o termo “opção sexual” e associou os homossexuais à promiscuidade e a uma maior propensão em contrair o vírus HIV. Por conta disso, Narloch foi demitido da emissora.

“A cultura do cancelamento me pegou. A CNN informou agora que, depois da polêmica desta semana, decidiu rescindir o meu contrato. Lamento pelo motivo. Não sou, nem fui homofóbico, tenho horror a homofobia e concordei explicitamente com a doação de sangue por homossexuais”, disse ele, no comunicado.

Além disso, outra situação de perseguição acabou prejudicando um jornalista conservador:

Há algumas semanas o jornalista Luís Ernesto Lacombe foi afastado do programa Aqui na Band porque as pautas conservadoras incomodaram a emissora, e após isso ele pediu demissão da Bandeirantes. A direção do programa inclusive proibiu que o nome de Bolsonaro fosse citado na atração. Toda a equipe de produção foi demitida e/ou afastada.

Por conta desses acontecimentos, neste sábado, 11 de Julho, o Presidente Jair Bolsonaro fez uma postagem em suas redes sociais apoiando os jornalistas conservadores:

“-Luís Lacombe, Leandro Narloch, Caio Coppolla e Rodrigo Constantino possuem algo em comum, que é opinião própria e independência. Isso já é suficiente para serem considerados nocivos dentro de grande parte da mídia, hoje completamente dominada pelo pensamento de esquerda radical.”

Ainda continuou:

“-Não tenho relação com nenhum desses. Inclusive, por diversas vezes, sou alvo de suas críticas. Mas no Brasil formou-se um cenário onde não ser radicalmente crítico a um governo conservador/liberal já é motivo para ilações e perseguições. A esquerda não respeita a democracia!”

Fonte: UAI e Jair Bolsonaro (via Twitter)