quarta-feira, 29 de setembroAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Bolsonaro solta o verbo e diz que não vai aceitar intimidações do Ministro Barroso

Bolsonaro solta o verbo e diz que não vai aceitar intimidações do Ministro Barroso

Nesta Segunda-feira, 2 de Agosto, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a comando de Luís Roberto Barroso (Presidente do TSE), fez um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o Presidente da República Jair Bolsonaro seja investigado.

O pedido de Barroso é no âmbito do inquérito das fake news, aberto pelo Ministro Alexandre de Moraes, que apura a disseminação de supostas notícias falsas.

Bolsonaro disse que não irá se intimidar e continuará defendendo o voto impresso auditável para as eleições presidenciais de 2022.

Na manhã desta Terça (3), Bolsonaro conversou com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília, e voltou a criticar o Ministro Luís Roberto Barroso:

“Não aceitarei intimidações. Vou continuar exercendo meu direito de cidadão, de liberdade de expressão, de crítica, de ouvir e atender, acima de tudo, a vontade popular”, afirmou Bolsonaro.

O Chefe do Executivo soltou o verbo e disse que Barroso presta um “desserviço à nação brasileira” e segundo ele o magistrado “coopta gente de dentro do Supremo”.

Confira a fala do Presidente:

“O ministro Barroso presta um desserviço à nação brasileira. Cooptando gente de dentro do Supremo, querendo trazer para si, ou de dentro do TSE, como se fosse uma briga minha contra o TSE ou contra o Supremo. Não é contra o TSE nem contra o Supremo. É contra um ministro do Supremo, que é também presidente do TSE, querendo impor a sua vontade.”

Durante a conversa com os seus apoiadores, o Presidente Bolsonaro mostrou dois documentos que, segundo ele, são relatórios da Polícia Federal que comprovam indícios de possíveis fraudes nas urnas eletrônicas, e questionou:

“Vocês acreditam no relatório da PF ou na palavra do ministro Barroso?”.

Fonte: Revista Oeste

Compartilhe!

Este conteúdo está protegido contra plágio.