domingo, 29 de novembroAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Dilma disse que o marco do saneamento é um “crime contra os brasileiros”

Dilma disse que o marco do saneamento é um “crime contra os brasileiros”


Na quarta-feira (24 de Junho) foi aprovado o Marco Regulatório do Saneamento, medida que visa abrir para a iniciativa privada o setor que hoje é dominado por empresas estatais.

De acordo com a Confederação Nacional das Indústrias, países que seguiram esse caminho, a exemplo do Canadá, Chile, Estados Unidos, Japão e México, apresentaram melhora no serviço.

Através do Marco do Saneamento aproximadamente 35 milhões de pessoas serão beneficiadas, pois entrarão investimentos de mais de 700 bilhões de reais para a área em 12 anos.

Essa parcela de 35 milhões de pessoas ainda não possuem água tratada, e 100 milhões de brasileiros não tem acesso à coleta de esgoto, o que é o básico para uma qualidade mínima de vida.

Há 459 anos, desde que Estácio de Sá mandou escavar o primeiro poço no Brasil, o poder público brasileiro é ineficiente na prestação desse serviço.

Entretanto, para a ex-presidente Dilma Rouseff, isso é um “crime contra a soberania e o povo brasileiro”.

Em entrevista para o site do PT, a petista fez deu suas opiniões acerca do assunto:

“A lei aprovada no Senado autoriza a privatização do fornecimento de água e do tratamento de esgoto, mas essa ideia já fracassou em vários países”

Além disso, falou ainda que a iniciativa privada não conseguirá suprir tais demandas:

“Nenhuma empresa privada oferecerá tratamento de esgoto e água potável a quem não puder pagar suas tarifas, que por isto serão muito elevadas”.

E ainda disse que apenas o Estado pode garantir saúde para todos:

“Significa fortalecer a saúde pública, que a crise do Covid-19 mostrou que só pelo Estado a saúde pode ser garantida a todos”.

Sobre o título da matéria, Dilma fez uma advertência sobre “entregar” a água na mão de empresas:

“Esta riqueza será entregue a empresas privadas, inclusive estrangeiras. Um crime contra a soberania e o povo brasileiro”, ressalta Dilma.

“Ação criminosa e perversa, pois a água está sendo essencial no enfrentamento do Covid-19, e será fundamental contra qualquer vírus que no futuro nos ameace. A água não pode ter dono. É bem público que a todos pertence e por todos deve ser usufruída”.

Fonte: Revista Oeste e PT