segunda-feira, 26 de julhoAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Esquerdistas ignoram a quarentena e se aglomeram em protestos contra Bolsonaro

Esquerdistas ignoram a quarentena e se aglomeram em protestos contra Bolsonaro

Da série “faça o que eu digo mas não faça o que eu faço”, agora os esquerdistas que abraçavam tanto a hashtag #FiqueEmCasa agora estão aos montes se aglomerando em protestos pelo país.

Quando os primeiros apoiadores do Bolsonaro começaram a ir até em frente do Palácio do Planalto, a esquerda foi à loucura e chamou o Presidente de genocida, o povo de “gado” entre outros adjetivos.

Mas agora parece que a esquerda simplesmente ignorou a existência da pandemia de Coronavírus e agora estão aos montes aglomerados em protestos da Antifa, que segundo eles são atos “democráticos” e contra racismo e fascismo.

Veja por exemplo a parlamentar do PSOL publicando hoje em seu Twitter:

Engraçado que essa mesma deputada há algum tempinho criticou ferozmente todo e qualquer manifestante que estivesse na rua:

Como podemos ver, a incoerência é grande, tendo em vista que somente quando é o grupo deles que está lá é que as manifestações são permitidas, mas quando são brasileiros com camisa verde e amarelo, que cantam o hino do Brasil e sentem orgulho da nação e de seu Presidente, aí é errado.

Segundo a Revista Oeste, “somente em Belém por exemplo, 112 pessoas foram detidas acusadas de não respeitar regras sobre distanciamento social. No Rio de Janeiro, houve a prisão de 75 pessoas conforme a Polícia Militar fluminense. Em São Paulo, duas agências bancárias foram depredadas e manifestantes agrediram policiais.”

Além disso, não podemos deixar de falar na violência que essas “manifestações” causam:

Os supostos “antifascistas” igualmente jogaram lixo na rua e tombaram caçambas de coletas de dejetos. “Havia um acordo para que os manifestantes não fossem para Paulista, mas esse acordo foi descumprido. Alguns agrediram policiais com pedras e houve necessidade de utilização de técnicas de controle de multidão”, disse o tenente-coronel Emerson Massera, porta-voz da PM de São Paulo, para a Globo News.

Fonte: Revista Oeste

Compartilhe!