quarta-feira, 12 de maioAs principais notícias do Brasil e do Mundo
General Mourão defende a liberação de cultos e missas e diz que os fiéis são pessoas mais disciplinadas

General Mourão defende a liberação de cultos e missas e diz que os fiéis são pessoas mais disciplinadas

Um assunto que está dando no que falar foi a decisão do Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Kassio Nunes Marques em liberar os cultos e missas presenciais.

A decisão do magistrado deixou alguns de seus colegas de Supremo revoltados, como Gilmar Mendes e Marco Aurélio Mello, que criticaram veementemente a liberação dos cultos religiosos.

Até comentamos hoje que Nunes Marques rebateu às alegações de Gilmar Mendes e disse que o momento é de bom senso e não de hipocrisia:

“O momento é de bom senso e não de hipocrisia. O Distrito Federal, Estados e municípios têm academias e restaurantes abertos porque se avaliou que seriam essenciais nesta pandemia. E tem muitas atividades funcionando”.

Neste sentido, o Vice-Presidente da República, General Hamilton Mourão, também deu a sua opinião sobre o assunto, e disse que concorda com a liberação dos cultos e que as pessoas que frequentam igrejas são até mais disciplinadas:

“As pessoas que frequentam culto e templo são até mais disciplinadas”, afirmou Mourão ao chegar ao Palácio do Planalto. “É diferente de balada, dessas festas clandestinas que acontecem. Não vou colocar no mesmo nível. São atividades totalmente distintas. Uma é espiritual e a outra é corporal, vamos dizer assim”, disse o Vice.

Mourão também falou que desde que haja distanciamento social, não há problema em manter um culto em funcionamento:

“Tudo depende das pessoas e depende do templo. Se você tem uma igreja que tem um espaço bom, você limita a 20, 30 pessoas separadas, duas por banco, todo mundo de máscara, obviamente, acho que há condições. Agora, quando são templos apertados e muita gente lá dentro, é óbvio que não é conveniente”, disse Mourão.

Fonte: Revista Oeste

Compartilhe!