sexta-feira, 4 de dezembroAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Jornalista da Folha de SP diz que Bolsonaro está se promovendo com obras do PT

Jornalista da Folha de SP diz que Bolsonaro está se promovendo com obras do PT


Temos comentado sobre os ataques da Folha de São Paulo ao Presidente Jair Bolsonaro. O veículo não tem medido esforços para criticar o Chefe do Executivo.

Recentemente, a Folha publicou um artigo intitulado “Jair Rousseff”, fazendo uma comparação do Presidente Jair Bolsonaro com a ex-presidente Dilma Rousseff.

O artigo em questão falava sobre o teto de gastos públicos, dizendo que o Presidente Bolsonaro está colocando em risco a estabilidade econômica:

“A mais de dois anos da disputa presidencial, o presidente estaria contratando uma crise futura e colocando em risco até mesmo a estabilidade econômica, duramente conquistada pela sociedade brasileira nas últimas décadas.”

Além disso, falaram também que os afetados das más decisões de Bolsonaro serão os “pobres” e “miseráveis”:

“Ao final, os mais prejudicados serão, como de hábito, os pobres e miseráveis, que por inconveniência política constituem também a parcela mais decisiva do eleitorado.”

Também comentamos sobre o artigo publicado pelo jornalista Hélio Schwartsman, que no dia 7 de Julho, escreveu um artigo com o título “Por que torço para que Bolsonaro morra“, o que gerou muita revolta nas redes sociais.

Desta vez, na noite deste dia 30 de Agosto, o jornalista Leandro Colon fez uma publicação na Folha de São Paulo com o título: “Como acreditar em Jair Bolsonaro?”, com críticas ao Presidente e dizendo que ele está se apropriando das obras petistas e considerando como suas:

“O presidente da República resolveu sair por aí inaugurando obras iniciadas em governos passados. Sem um portfólio para chamar de seu, fatura em cima da iniciativa alheia -no caso, do adversário.”

Em outro trecho, o artigo ainda diz:

“São ao menos 33 obras na lista de viagens no segundo semestre —25 nasceram nas gestões petistas, apenas duas na de Michel Temer (MDB), e sobraram 6 com origem no atual governo.

Portanto é importante deixar claro ao eleitor alvo dessas andanças eleitoreiras: o presidente apenas montou na garupa para levar essa obra até você.”

Fonte: Folha de SP