segunda-feira, 26 de julhoAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Ministério Público denuncia líder do Movimento Brasil Livre, Renan Santos

Ministério Público denuncia líder do Movimento Brasil Livre, Renan Santos

Nesta Segunda-feira, 26 de Outubro, foi divulgada uma denúncia do Ministério Público de São Paulo contra integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL).

Os denunciados foram o empresário Alessander Monaco Ferreira, Renan Antônio Ferreira dos Santos, um dos líderes do MBL e Nourival Pantano Junior, ex-diretor presidente da Imprensa Oficial do Estado (IMESP) por suposta participação em esquema que teria implicado em crimes de tráfico de influência, dispensa e fraude em licitação e corrupção passiva.

A denúncia foi assinada na última semana, no dia 22, pelo promotor Marcelo Batlouni Mendroni. O promotor aponta as relações entre os denunciados e detalha o que chama de “lógica do estratagema criminoso”.

Segundo a denúncia, Alessander Monaco Ferreira “coligou-se intimamente” com o MBL, sendo que os integrantes do movimento, em especial Renan Antonio Ferreira dos Santos, “através de tráfico de influência política, conseguiram a contratação, pelo seu presidente Nourival Pantano Jr., de Alessander Monaco Ferreira na IMESP; em cargo comissionado – sem concurso público”.

O promotor ainda disse:

“Uma vez trabalhando na IMESP, Alessander Monaco Ferreira: realizou doações via superchat para o MBL, de valores correspondentes ao seu salário daquela função pública, como forma de retribuir o ‘favor’ correspondente àquela contratação na IMESP; e trabalhou no sentido de articular fraudes em licitações e contratações de empresas através de dispensa e inexigibilidade de licitações”.

Ainda de acordo com a denúncia, uma das contratações fraudulentas supostamente articuladas por Alessander “corresponde à contratação da Fipe, através de dispensa de licitação”. Segundo a Promotoria, a Fipe, por sua vez, havia contratado a empresa de Alessander “pagando-lhe valores milionários por consultorias”.

A denúncia indica ainda que, do recebimento de valores da propina, Alessander Monaco Ferreira “os depositou de forma estratificada em dias próximos ou sequenciais, de valores pouco inferiores a R$ 5 milhões para dissimular a sua origem e assim promovendo a lavagem dos valores”.

O líder do Movimento Brasil Livre se manifestou sobre a denúncia e disse não estar surpreso com o fato. Para ele a denúncia tem como objetivo “manchar” a reputação dele e afetar seus amigos do MBL:

“Soube que nela [na denúncia] também foram denunciadas pessoas da FIPE e IMESP. Não tenho a menor ideia de quem sejam essas pessoas, nunca as vi na vida, e fico chocado que uma denúncia seja oferecida contra mim simplesmente por que sou ‘famoso’ ou ‘influente’. Coisa que nem sou, pra falar verdade”.

Fonte: Pleno News

Compartilhe!