segunda-feira, 26 de julhoAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Moro comemorou que o Facebook excluiu diversos perfis de apoio a Bolsonaro

Moro comemorou que o Facebook excluiu diversos perfis de apoio a Bolsonaro

Nesta quarta-feira, 8 de Julho, o Facebook derrubou diversos grupos e perfis de apoiadores ao Presidente Jair Bolsonaro. Segundo a rede social, essa “rede” de 88 contas pertenciam a integrantes do Partido Social Liberal (PSL), entre eles até mesmo o filho do Presidente:

  • Senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), ex-PSL;
  • Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP);
  • Deputada estadual Alana Passos (PLS-RJ);
  • Deputado estadual Anderson Moraes (PSL-RJ);
  • Presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), ex-PSL;

O artigo oficial do Facebook é entitulado “Removendo Comportamento Inautêntico Coordenado”.

Veja abaixo alguns trechos do que diz no texto da rede social:

“Encontramos essa atividade como parte de nossa investigação sobre suspeita de comportamento inautêntico coordenado no Brasil, relatado pela imprensa e referenciado em depoimentos recentes do Congresso no Brasil.” 

“Embora as pessoas por trás dessa atividade tenham tentado ocultar suas identidades e coordenação, nossa investigação encontrou links para indivíduos associados ao Partido Liberal Social e a alguns dos funcionários dos escritórios de Anderson Moraes, Alana Passos, Eduardo Bolsonaro, Flavio Bolsonaro e Jair Bolsonaro.”

As Investigações da plataforma foram analisadas por pesquisadores norte-americanos do Digital Forensic Research Lab (DRFLab), ligado ao Atlantic Council.

Para o Facebook, a rede de contas removida agia para enganar sistematicamente o público, sem informar a verdadeira identidade dos administradores, desde as eleições de 2018. 

A rede social citou os seguintes dados sobre as exclusões:

  • Presença: 35 contas no Facebook, 14 páginas, 1 grupo e 38 contas no Instagram;
  • Seguidores: cerca de 883 mil contas seguiram uma ou mais dessas páginas, cerca de 350 contas ingressaram neste grupo e cerca de 917 mil pessoas seguiram uma ou mais dessas contas do Instagram;
  • Publicidade: cerca de US$ 1.500 em gastos com anúncios no Facebook. O valor foi pago em real.

No Twitter, o ex-Ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro comemorou o fato do Facebook excluir esses grupos e contas, e disse ainda que foi vítima de ataques do suposto “gabinete do ódio”:

“Fui alvo da rede de mentiras que age por motivos político-partidários. Pessoas que perderam qualquer senso de decência. Parabéns ao Facebook que suspendeu as contas de notícias falsas e fraudes.”

Fonte: Facebook

Compartilhe!