segunda-feira, 18 de outubroAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Para desespero da oposição, Erasmo Carlos também critica a CPI e diz que “é um circo”; veja repercussão

Para desespero da oposição, Erasmo Carlos também critica a CPI e diz que “é um circo”; veja repercussão

Esta semana o cenário artístico está se pronunciando politicamente mais do que o comum. Falamos mais cedo que o cantor Amado Batista saiu em defesa do Presidente Jair Bolsonaro. Na Quarta-feira, 2 de Junho, a atriz Juliana Paes defendeu a médica Nise Yamaguchi, que prestou depoimentos na CPI.

Desta vez, outro artista soltou o verbo e deixou sua crítica contra a Comissão Parlamentar de Inquérito. Erasmo Carlos, aos 80 anos, considera que a condução da CPI “é um circo”.

Em entrevista à Folha de São Paulo, o cantor disse:

“É um circo. É inacreditável, eu não sei como tem gente tão sem noção. Fico bestificado de ver tanta desinformação. A cada dia sou surpreendido por mais blablablá, isso me deixa muito triste”, desabafou.

Erasmo disse também que a pandemia está sendo cumprida rigorosamente por ele e sua esposa, que há 1 ano e 4 meses não saem de casa:

“Há um ano e quatro meses eu e minha mulher estamos dentro de casa. A gente não sai, não vai a lugar nenhum. Cumpri bem todas as regras. A gente foi se adaptando, sentindo falta de algumas coisas. Estava com um trabalho novo pronto para gravar, chamado ‘O Futuro Pertence à Jovem Guarda’. É uma frase do Lênin, dela é que foi tirado o nome Jovem Guarda, pelo Carlito Maia”, disse.

O vocalista do Ultraje à Rigor, Roger Moreira, compartilhou a entrevista em seu Twitter, e usuários comentaram na publicação:

Conforme temos noticiado, a condução da CPI realmente tem sido lamentável, com Omar Aziz e Renan Calheiros tratando todos os depoentes que são pró-Governo como criminosos, nem deixando-os completar seus argumentos e falas.

Fonte: Gazeta Brasil

Compartilhe!

Este conteúdo está protegido contra plágio.