quarta-feira, 29 de setembroAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Para o Ministro Barroso, o STF evitou que Bolsonaro cometesse um genocídio

Para o Ministro Barroso, o STF evitou que Bolsonaro cometesse um genocídio

Nós comentamos aqui que o Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes fez duras críticas ao Exército Brasileiro, associando a instituição a um genocídio:

É preciso dizer isso de maneira muito clara: o Exército está se associando a este genocídio. Não é razoável para o Brasil, é preciso pôr fim a isso.”

Não são poucas as vezes em que algum ministro do Supremo faz duras críticas ao Governo, principalmente ao Presidente Jair Bolsonaro.

Dessa vez, foi a vez do Ministro Luís Roberto Barroso. Em debate online realizado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o ministro disse nessa terça-feira, 27 de Julho, que o Supremo evitou um “genocídio” ao derrubar algumas medidas do Executivo.

“Num momento em que se recomendava o isolamento social, a política pública de convocação das pessoas ao trabalho e às ruas poderia produzir um genocídio, sobretudo nas comunidades pobres. E por tanto, em nome do direito à vida, e do direto à saúde, o Supremo impediu a difusão dessa campanha”

Segundo o site Congresso em Foco, o Ministro Barroso disse ainda que a pandemia expôs grotões de extrema pobreza no Brasil, onde não há saneamento básico e praticamente nenhuma presença do poder público. Para o ministro, o Estado precisa olhar com mais atenção para questões sociais e não ter como foco principal o liberalismo econômico.

Em tom estadista, Barroso também falou que os ricos precisam doar mais para os pobres:

“O Brasil tem ricos o suficiente para ter mais filantropia, com gente doando dinheiro que não precisa para fazer os outros viverem melhor.”

Fonte: Congresso em Foco

Compartilhe!

Este conteúdo está protegido contra plágio.