quinta-feira, 29 de julhoAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Presidente Bolsonaro solta o verbo sobre acusações da imprensa com as compras de leite condensado

Presidente Bolsonaro solta o verbo sobre acusações da imprensa com as compras de leite condensado

O Presidente Jair Bolsonaro soltou o verbo e não mediu palavras sobre as críticas que a imprensa e oposição estão fazendo acerca dos dados divulgados sobre valores da compra de alimentos do Governo Federal.

Nesta Terça-feira, 26 de Janeiro, foi divulgada uma lista de valores gastos em 2020 para a compra de materiais alimentícios. Entretanto, chamou a atenção o fato de que R$15 milhões foram utilizados para a compra de leite condensado.

Obviamente, a imprensa e opositores usaram desta informação para dizer que o Governo Federal superfatura os valores dos mantimentos e pasmem, que todas as latas de leite condensado seriam supostamente utilizadas pelo Presidente Bolsonaro.

Veja abaixo a crítica da Deputada Sâmia Bomfim, do PSOL:

“Com 15,6 milhões de reais seria possível comprar 7200 latas de leite condensado por dia durante todo 2020. A família presidencial consumiu tudo isso? Distribuiu pra alguém? Revendeu? Ou está havendo algum tipo de superfaturamento e desvio de verbas? A justiça precisa investigar!”

Além dela, Ciro Gomes foi outro que criticou o valor do gasto:

“Bolsonaro gasta mais de 15 milhões de reais em leite condensado por ano. Aumento dos gastos públicos em ano de pandemia e falta dinheiro para salvar vidas! Isso é corrupção! #ImpeachmentJá

Entretanto, segundo o Conexão Política, que investigou a fundo se é verdade ou não a narrativa da imprensa e oposição de que Bolsonaro teria gasto sozinho em leite condensado, chegaram à seguinte conclusão:

“Com a íntegra das informações e dos valores divulgados pela Transparência, é possível perceber que, dos R$ 15,6 milhões gastos com leite condensado, R$ 14,2 milhões foram empenhados somente pelo Ministério da Defesa, o que, segundo a pasta comandada pelo general Fernando Azevedo, pagaria pela alimentação do efetivo de todas as Forças Armadas (FA), que no Brasil são constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Força Aérea.

Logo depois da Defesa, os três maiores gastos com o item são dos seguintes ministérios: Educação (R$ 1 milhão), Justiça e Segurança Pública (R$ 327 mil) e Saúde (R$ 61 mil).

Portal da Transparência | Ministério da Economia”

O Presidente Bolsonaro, durante evento nesta Quarta-feira, 27 de Janeiro, soltou o verbo e falou “poucas e boas” sobre a imprensa em relação a essas acusações:

“Quando vem a imprensa, me atacar, que eu comprei, 2 milhões e meio de lata de leite condensado. Vai pra puta que pariu, porra. […] É pra enfiar no rabo de vocês, de vocês não, de vocês aí da imprensa, essa lata de leite condensado”, disse o presidente.

E continuou:

“Não é pra presidência da República essa compra de alimentos. Até porque nossa fonte é outra”, explicou. “Pra alimentar 370 mil homens do exército brasileiro e também programas de alimentação via Ministério da Cidadania. Também alimentação via Ministério da Educação”.

“Entre tantos e tantos outros. Essas acusações levianas não levam a lugar nenhum. E se me acusam disso, é sinal que não tem do que me acusar”.

Assista abaixo:

Fonte: Conexão Política

Compartilhe!