domingo, 29 de novembroAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Sara Winter: “A pior coisa é você ser apoiador do Bolsonaro em um presídio”

Sara Winter: “A pior coisa é você ser apoiador do Bolsonaro em um presídio”


Conforme noticiamos aqui, a ativista Sara Winter foi presa na semana passada e liberada ontem.

Winter divulgou um vídeo, nesta quinta-feira (25), após deixar a Penitenciária Feminina do Distrito Federal, onde ficou presa por 10 dias.

No vídeo que foi divulgado nas redes sociais ela afirma que ainda não sabe o motivo que a levou para cadeia:

“Boa noite, Sara Winter. O que sobrou da Sara e o que está renascendo da Sara. Foram 10 dias baixo uma prisão arbitrária que até agora não sei o motivo. Hoje, uma pessoa, enquanto eu colocava a tornozeleira eletrônica, me perguntou: Sara você se arrepende? Não, eu não me arrependo. Pelo meu país, eu faria o necessário.”

Sara Winter afirma que ainda está abalada, mas “luta por um país justo e soberano”:

“Foram dias muito horríveis. A pior coisa é você ser apoiador do presidente Bolsonaro em um presídio. Você escuta ameaças horríveis contra você e contra seus familiares.”

Veja abaixo o vídeo que ela postou em seu Twitter:

Segundo a defesa de Sara, a prisão foi feita por volta das 7h e o pedido foi feito pelo próprio ministro Moraes. Sara é alvo do inquérito das fake news que tramita na Corte.

A ativista Sara Winter deixou a Penitenciária Feminina do Gama, a Colmeia, nesta quarta-feira (24). Ela cumpriu prisão temporária de 10 dias por ameaçar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

A pena de Sara só venceria após as 23h59 desta quarta, no entanto, ela saiu mais cedo para poder colocar a tornozeleira eletrônica, uma regras impostas por Moraes para que ela deixasse a prisão.

O ministro também determinou que ela deverá se manter a uma distância mínima de um quilômetro dos prédios do Congresso Nacional e do STF. Sara está proibida de manter contato com outros investigados no inquérito que apura atos antidemocráticos e só poderá sair de casa para trabalhar, sem ficar circulando pelas ruas.