segunda-feira, 25 de janeiroAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Senador fez o pedido de prisão do Ministro da Educação Weintraub

Senador fez o pedido de prisão do Ministro da Educação Weintraub

Informações vindas da Revista Oeste indicam que o Senador Randolfe Rodrigues (REDE/AP) solicitou o pedido de prisão preventiva do Ministro da Educação Abraham Weintraub.

Além disso, também pediu a suspensão imediata do cargo de Weintraub no ministério e mandado de busca e apreensão de celulares e computadores, tanto pessoais quanto profissionais.

Veja abaixo mais trechos da matéria:

Neste domingo, 14, o ministro da Educação se reuniu com aproximadamente 15 apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. O auxiliar presidencial manifestou apoio às mobilizações em favor do governo federal. O senador da Rede, entretanto, interpretou o ato do ministro da Educação às manifestações políticas do final de semana como algo não democrático. “Vê-se que, indubitavelmente, a conduta do Sr. Abraham Bragança de Vasconcellos Weintraub é claramente incompatível com o regime democrático, com violações diretas à Lei de Segurança Nacional e à Lei de Crime de Responsabilidade. Afinal, o que ele pretende nem mesmo é permitido ao poder constituinte de reforma, pois a Constituição estabelece como cláusula pétrea a separação dos Poderes e garante o direito das minorias”, aponta a petição de Randolfe Rodrigues.

Em conversa com os apoiadores do Presidente Bolsonaro, Weintraub falou acerca do inquérito das fake-news, no qual ele foi acusado:

“Se eu tivesse feito alguma coisa, um contrato errado, se eu tivesse qualquer coisa já teriam me pendurado de ponta-cabeça naquela árvore. Não falta mídia querendo me pegar, fora pessoas com muito poder em Brasília”

Segundo a Revista Oeste, tecnicamente o senador pode ingressar com esse pedido, mas caberá ao relator do caso no STF, o ministro Alexandre de Moraes, deferir ou negar a solicitação de Randolfe Rodrigues.

Nota importante

O Blog No Momento é apoiador da direita brasileira e não temos nenhuma ligação e nem contato com políticos ou partidos. Nossa única forma de monetização é através de anúncios do Google. Divulgamos apenas notícias verdadeiras, com fontes seguras da grande mídia brasileira. Nós não apoiamos a disseminação de Fake News.

Fonte: Revista Oeste

Compartilhe!