segunda-feira, 26 de julhoAs principais notícias do Brasil e do Mundo
Texto-base da MP da Eletrobras é aprovado e estatal poderá ser privatizada; ações da empresa disparam

Texto-base da MP da Eletrobras é aprovado e estatal poderá ser privatizada; ações da empresa disparam

Nesta Quinta-feira, 17 de Junho, uma notícia muito aguardada foi finalmente aprovada no Senado Federal: a privatização da Eletrobras.

Por 42 votos a 37, a Medida Provisória sobre a privatização da Eletrobras foi aprovada após quase seis horas de discussão entre os parlamentares.

Agora a MP volta para a Câmara dos Deputados e deverá ser votada no início da próxima semana pelos Deputados, uma vez que o prazo de expiração é da Terça-feira, 22 de Junho.

A notícia foi muito comemorada pelos senadores pró-privatização. Marcos Rogério, que virou destaque durante a CPI, celebrou em suas redes:

“VITÓRIA! O Brasil dá um grande passo rumo ao desenvolvimento! Após intensos debates, aprovamos a MP que permite a capitalização da Eletrobras. Uma proposta que representa um marco no desenvolvimento do setor elétrico, propiciando segurança energética e redução na conta de luz!

A redução das tarifas de energia será entre 5% e 7,3%. Ou seja, além de modernizar o setor elétrico e garantir ampliação nos investimentos, a MP beneficia o consumidor, que há anos amarga cobranças abusivas em consequência do modelo defasado que tínhamos!”

O Senador Flavio Bolsonaro também fez comentários sobre o assunto, dando ênfase nos investimentos que serão possibilitados através da iniciativa privada:

“Aprovamos hoje o texto-base da MP da Eletrobras, que traz competitividade para a empresa, com sustentabilidade, podendo ampliar seus investimentos em energia renovável e novas tecnologias. Além de propiciar segurança energética e redução na conta de luz, que será entre 5% e 7,3%”

Segundo o portal UOL Economia, nesta Sexta (18) as ações da empresa dispararam com a aprovação da privatização no Senado.

As ações ordinárias (ELET3) — com direito a voto em assembleia da Eletrobras — saltavam 8,58%, a R$47,35, e os papéis ordinários (ELET6) — com prioridade na distribuição de dividendos — registravam alta de 8,53% — R$46,97.

Fonte: Conexão Política

Compartilhe!